“Rever as convicções é ter a coragem de analisar os fatos sob outra perspectiva.” Eurípedes Barsanulfo

Artigos

Sobre o fuzilamento do brasileiro na Indonésia e os malefícios das drogas e do álcool.

Enviado em 27 de janeiro de 2015 | | Publicado por funiespirito

Transcrição de trecho do Programa CONEXÃO PINEAL, apresentado pelo Dr. Sérgio Felipe de Oliveira, que foi ao ar no dia 20 de janeiro de 2015. Nesse programa, Dr. Sérgio comenta a respeito do recente fuzilamento do brasileiro Marco Archer na Indonésia e dos malefícios das drogas e do álcool.

http://radioboanova.com.br/programas/?m_nome=Conex%C3%A3o+Pineal

 

“… a nossa mente funciona em rede e essa rede nos coloca em contato com todas as pessoas do Universo. Sintonizamos com quem temos sintonia. Quando falamos Conexão Pineal, falamos da conexão entre o universo do espírito e o da matéria.

Gostaria de trazer este assunto para nossa atualidade, principalmente pelo recente fuzilamento do brasileiro, preso na Indonésia por tráfego de drogas – ele e outros. Gostaria de trazer uma reflexão sobre essa questão. Primeiro, não se pode pagar o mal com o mal. Tem que haver proporcionalidade entre a pena e o delito. E essa proporcionalidade jamais pode ser um atentado à vida. Todos nós somos passíveis de erros e devemos ter direito à nossa reconstrução, reparação de nossos danos. Este é um pensamento Cristão, do perdão. Não quer dizer que não deva haver uma penalização, sim, mas ela não pode atropelar a vida. Ela tem que reconstruir a vida. A pessoa aprende, se arrepende, reconstrói sua vida. Gostaria de colocar meu voto contra a pena de morte. Não se paga, ou não se penaliza um erro com um erro pior ainda que é o assassinato de uma pessoa. A sociedade não pode ser conivente com este tipo de posicionamento. Agora, também não é certo o tráfego de drogas que faz tantas vítimas. Temos, hoje, um sacrifício muito grande de nossa população por conta das drogas. Desde a maconha até a cocaína, o crack, etc. Nestes últimos 5 anos houve um aumento considerável do número de suicídios. No Brasil, temos um suicídio a cada 25 minutos. É um volume muito grande de suicídios, e isso acontece cada vez mais em vista da proliferação das drogas. Tivemos, recentemente, o caso de um brasileiro que pulou de um prédio no México, também por conta das drogas. São drogas alucinógenas. A maconha é uma droga alucinógena, a cocaína, e outras. Elas provocam lesões, alterações de percepção. Muitas vezes vemos uma pessoa usando maconha e ela diz: “isto não é nada”. Mas, ela não vê que outros usuários pulam da janela, se suicidam, ficam com paranoias, têm prejuízos em suas relações, estudo, trabalho, etc. Isto também vale para o álcool. 20% de nossa população é alcoólatra. Quantas vezes recebemos familiares que perderam filhos acidentados por atropelamentos, ou por acidentes de carro envolvendo o álcool. Quando o álcool é eliminado de uma comunidade, cai o número de homicídios. Então, ok, o indivíduo brasileiro fuzilado pelo estado da Indonésia, de fato errou gravemente, não há dúvida. O tráfego de drogas colabora para todo esse circuito. Mas deve haver uma proporcionalidade nas penas, que devem respeitar a vida e promover a vida. Para isso que existe a justiça.

Fala-se do Islamismo, mas o problema não é o Islamismo. O Islamismo também está com Jesus Cristo. Uma das bases do Islamismo é a figura de Jesus Cristo. Está escrito no Alcorão. É uma das bases angulares do Islamismo. O amor, o perdão, o respeito ao próximo, o respeito à vida também está na base do Islamismo. O resto, a violência, não é Islamismo. Como na época da inquisição, com a perseguição de quem não era cristão, levando-os ao calabouço das igrejas, isto também não era cristianismo, e sim uma subversão da religião. A religião deve estar condicionada ao ato benéfico, ao ato do amor, da justiça, não da vingança. Não atropelar a vida, e sim promover a vida.

Fica aqui a nossa voz contra a pena de morte em qualquer país. Lembramos que em países desenvolvidos, economicamente falando, como os EUA, também há pena de morte. Então, existe muita incongruência em nosso planeta, vê-se muita injustiça social mesmo em países desenvolvidos. Por exemplo, a Alemanha, é um país maravilhoso, de gente maravilhosa, de gente muito capaz, berço da música, Beethoven, berço da literatura, Goethe, berço da filosofia, tantos filósofos maravilhosos, cientistas, tecnologias, a indústria, um país maravilhoso, mas de lá surgiu uma erva daninha que foi o Nazismo.  Então, não se pode confundir uma coisa e outra. Essa erva daninha, o Nazismo, que traz suas representações no racismo, no terrorismo. Muitos jargões da Al Qaeta são coincidentes com o pensamento Nazista. São ervas daninhas que não correspondem nem ao catolicismo, ao protestantismo, nem ao Islamismo. Correspondem, sim, ao mal, são ervas daninhas que devem ser extirpadas de nosso planeta em termos de concepção. Mas não extirpar pessoas, isso não. Educar pessoas, transformar pessoas. No livro dos espíritos de Allan Kardec está explicado: “Nenhum ser humano está eternamente designado ao mal”. Está escrito na Bíblia: “Vós sois Deuses”. E quando Jesus Cristo disse: “Vos sois Deuses”, ele não disse só para aqueles que acertam na vida, incluiu também os que erram. “Vós sóis Deuses, podeis fazer tudo o que faço e muito mais”.  Estamos designados a coincidir nossas ações com as ações do Cristo. Também está escrito na Bíblia: “Fomos feitos à imagem e semelhança de Deus”. Então a estrutura do ser humano é o amor. Está escrito: “Deus é amor”. A estrutura de todo ser humano é o amor. Mas, se houve uma subversão dessa estrutura, a sociedade deve saber educar essa pessoa para que ela possa resgatar a sua fonte primária de amor, de solidariedade, de construção. Quando uma pessoa erra, por pior que seja o seu crime, ela é um ser filho de Deus, e tem amor em seu interior. Qual será a pedagogia, a psicologia, que será trabalhada com aquela pessoa para que ela resgate a fonte primária de luz? Temos que investir nisso tanto quanto se investe nas tecnologias do foguete, da Fórmula 1, nas tecnologias das edificações, também tem que se investir tempo, estudo no aprimoramento das funções pedagógicas de reconstrução humana e não simplesmente matar, até porque a morte não existe e a pessoa continua viva na espiritualidade. E veja que interessante, mesmo um país como a Indonésia que tem maioria muçulmana, que são pessoas do bem, o Estado promove um tipo de ação que é uma antítese do próprio Islamismo. O mundo é cheio de incoerências. O ser humano é um ser assimétrico. E as nossas ações fazem com que estabeleçamos conexões em sintonia com o nosso padrão. Então a pessoa é rancorosa, traz mágoa no coração, e isso puxa coisas negativas, pensamentos negativos, ações negativas, ele alimenta violência, alimenta pensamentos que se estendem em ações negativas. A pessoa é irritadiça, grita no trânsito, grita no comércio, briga com o próximo, xinga, assiste programas de violência na televisão, joga jogos de vídeo game de violência. Uma hora esse tipo de perfil estoura no indivíduo que sai matando nas escolas, ou alimenta a mente de crianças e adolescentes que acabam caindo no crime. O articulador terrorista africano que sequestra crianças e adolescentes, o faz com o intuito de levá-los para o exército terrorista deles. Ele forma o exército terrorista em cima da educação, ou melhor, condicionamento das crianças e adolescentes para se tornarem membros daquele exército violento. As mentes de crianças e adolescentes são campo aberto para o processo educativo ou para o processo de dissipação da mente. Se um articulador terrorista se importa com as crianças e adolescentes e em fazer a cabeça dessas crianças para compor seu exército, penso que nos ocupamos pouco de nossas crianças e adolescentes do ponto de vista de investimento no processo educativo de formação de consciências solidárias, e não só solidariedade entre os seres humanos, mas também entre o ser humano e a natureza. Estamos vendo que o aquecimento global já chegou, a temperatura da Terra já aumentou. No Canadá onde havia geleira, parte já derreteu. Alguns países dependem do derretimento das geleiras para ter água. O Chile depende muito do degelamento de suas geleiras. Com o aquecimento global, e se esse degelo acontece de forma desproporcional e o gelo acaba, corre-se o risco de acabar a água potável. Os nossos rios também estão secando. Destruímos a Amazônia,  com a chegada do aquecimento global, não temos reservas. Nossos filhos e netos têm que ter consciência de sustentabilidade. Não é só solidariedade entre os seres humanos, tem que haver solidariedade entre os seres humanos e a natureza também. Precisamos ter formação desde o seio familiar até a escola para o respeito com a natureza, respeito para com aquela planta, para com aquele animal, ao não desperdício. Tudo isso é solidariedade, irmandade para com a natureza. Nós estamos muito desleixados. Claro, algumas nobres pessoas estão empenhadas com o processo de reeducação da humanidade. Há honrosas exceções, claro, mas a maioria deixa a desejar, os programas de Estado também. Há também necessidade das mídias estarem envolvidas com o processo educativo e com a formação das consciências. É papel da mídia abrir espaço para esta necessidade de educação de nossa humanidade. Mas também tudo isso começa com o nosso próprio papel, o seu papel. Qual a sua proposta? Qual o seu comportamento para que haja paz em seu lar? Saber ouvir, saber perdoar, entrar em casa com um sorriso? Saber dar orientação, preocupar-se em organizar e reconstruir relações. Organizar a vida doméstica, organizar as economias, jogar o cigarro fora — chega de intoxicar os pulmões!  Jogar a maconha fora — chega! Isto está envolvendo muito crime, muito homicídio, muito suicídio, vamos jogar fora as drogas, o álcool. Há muita bebedeira. Vamos moderar tudo isso. Colocar ordem para que sua vida melhore. E então a sua glândula pineal irá captar magnetismo mais positivo, pois você ligou a sua sintonia em uma vibração positiva através de sua atitude. Assim, melhora a vida amorosa, abrem-se os caminhos no trabalho, e você passa a contribuir para um mundo melhor.

A construção do macrocosmo está alicerçada no microcosmo de nossas atitudes. As grandes coisas na humanidade vêm das pequenas atitudes de nossa rotina, de nosso dia a dia. Temos em nosso redor uma imensidade de luz esperando de nós uma boa atitude, uma boa sintonia. Às vezes, levantar da cama pode ser difícil porque a pessoa se sente desmotivada, deprimida. Se você se liga às esferas de luz que representam as forças de construção de nosso planeta e passa a agir com atitude através de reformulação de sua postura, você se irmana com as forças de luz e a sua vida melhora. O remédio que não resolvia a sua dor crônica, passa a resolver, a dor de cabeça já não é tão intensa, a TPM melhora porque a sintonia espiritual melhora, isto reflete no sistema nervoso autônomo. O problema digestivo, a gastrite crônica harmoniza, porque houve harmonia do espírito, harmonia da atitude. O reumatismo deixa de atacar. A depressão começa a apresentar uma luz suave chegando à sua mente, ao seu coração. O pensamento de suicídio se esvai porque você mudou de sintonia. Você deve refrear a tentação de comer o que não se deve, pela melhora da sintonia. O relacionamento difícil na casa onde há muitas brigas, melhora. Você começa a se acalmar, a evitar tantas mazelas.  Você já consegue fazer uma dieta melhor e controlar aquela diabete difícil.  Consegue fazer uma caminhada, fazer exercícios, regular melhor a alimentação, se acalmar, o medicamento tem mais efeito, então, as nossas atitudes se refletem em um numerário imenso de questões que envolvem o nosso cotidiano.

Muitas pessoas, hoje, sofrem de distúrbios das relações conjugais e de família. A célula da sociedade é a família O casamento não é como o namoro. O namoro se fecha nele mesmo, mas o casamento envolve um terceiro fator que é o lar. Se o casal não estiver envolvido na construção do lar, a relação se desgasta, e essa construção do lar envolve o processo de educação dos filhos, envolve, portanto, uma sintonia com o que vem se movimentando em nossa sociedade, e um posicionamento.

Então, quando falamos da pena de morte na Indonésia, e quando falamos que não se deve julgar alguém ao extremo de atentar contra a sua vida, é porque a condenação é pior do que foi o próprio erro do condenado. Este é um posicionamento que tomamos e com o qual devemos educar nossos filhos: na solidariedade, no amor, e na justiça divina. E esse posicionamento surge a partir do momento que temos consciência social e nos preocupamos com a humanidade. Trabalhamos pelos nossos filhos, pelo nosso lar, mas em sintonia com as necessidades da humanidade para educar nossos filhos de acordo com aqueles que vão ser propulsores de uma sociedade que recrie a solidariedade, a paz e o amor. O mundo está passando, sim, por uma grande conturbação, tanto climática, como a que estamos vivendo, quanto social, como vemos nas notícias. No Brasil, tivemos em 2014, 60 mil homicídios. É uma guerra. Em muitas guerras pelo mundo, não houve tantas mortes quantas pela violência aqui no Brasil. Essa violência é um reflexo de nossa sociedade. Então, as nossas atitudes, as mais simples, que votem pela paz, pelo amor, pelo perdão, pela compreensão, contribuem, sim, para uma sociedade justa e fraterna. E se fizermos de nosso país, a partir de nossas atitudes, uma sociedade justa e fraterna, irmanada com a natureza, irmanada com a paz, estaremos contribuindo também para um mundo de paz”.

Deixe seu comentário: